Tupi-Guarani

Silêncio Guerreiro

 

No território indígena,
O silêncio é sabedoria milenar,
Aprendemos com os mais velhos
A ouvir, mais que falar.

No silêncio da minha flecha,
Resisti, não fui vencido,
Fiz do silêncio a minha arma
Pra lutar contra o inimigo.

Silenciar é preciso,
Para ouvir com o coração,
A voz da natureza,
O choro do nosso chão,

O canto da mãe d’água
Que na dança com o vento,
Pede que a respeite,
Pois é fonte de sustento.

É preciso silenciar,
Para pensar na solução,
De frear o homem branco,
Defendendo nosso lar,
Fonte de vida e beleza,
Para nós, para a nação!

© poemas de márcia wayna kambeba

é absolutamente proibido copiar, fazer alterações, transmitir, distribuir, ou fazer outro uso mesmo gratuitamente de qualquer conteúdo (texto e imagem) no sítio.

A inobservância das proibições ou destas restrições, será considerada como violação de direitos de propriedade intelectual (Direitos de autor ©).